O presidente de Honra do MPB recebe o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre pela Câmara Municipal.

No dia 13 de dezembro de 2019, a Câmara Municipal de vereadores de Porto Alegre no plenário Otávio Rocha, em solenidade  com prestigiosa presença de edís e convidados, o Vereador Wambert di Lorenzo entregou a comenda e o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre ao conhecido Professor e jurista Cezar Saldanha Souza Júnior.

Pessoa de inegáveis qualidades, professor de direito elogiado pelos inúmeros alunos  como detentor de qualidades extraordinárias; atuante em vários eventos políticos, e defensor e divulgador do Parlamentarismo como sistema de governo.

Segundo as palavras do Vereador Wambert di Lorenzo, associado do MPB  - " O Professor César Saldanha Souza Júnior receberá o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre como um ato de reconhecimento do povo de Porto Alegre àquele cristão e cidadão que dedicou sua vida à liberdade, à democracia, ao aprimoramento das instituições e, sobretudo, à formação de gerações juristas. Generosidade, abnegação,
solidariedade, amor às pessoas são algumas marcas daquele que também foi o melhor professor que eu já tive na vida."

O Professor Saldanha é atualmente o Presidente Emérito do MPB, e como instituição, o MPB  reconhece o merecida escolha de seu nome para a homenagem. Prestigiando esse evento memorável  estiveram presentes representantes do MPB.  O Presidente do MPB - Vinicius Marques Boeira, o  Secretário Geral César Day, Vera Conz - Secretária de Organização, o Conselheiro Fernando Bolzoni, Vinicius Freitas foram alguns dos presentes.

Além dos discursos emocionados de vereadores, o Vereador Castrogildo Veloso defendeu em sua fala o sistema parlamentarista de governo.

Artigos
Bel Ageu Avelino Rodrigues Jr.
Bacharel em Direito e escritor Conselheiro Deliberativo do MPB Curitiba - PR
O MPB E A LUTA PELO IDEAL PARLAMENTARISTA
Nesse dia 15 de outubro o MPB completou 21 anos de uma árdua, porém proveitosa (senão dizer virtuosa) luta por um ideário tipo por vezes utópico, próprio das grandes democracias e regimes responsáveis perante seu povo. Sempre atacado de todos os lados, por aqueles que insistem à exaustão em apontar seus defeitos, como forma de esconder as próprias deficiências do regime que defendem, o parlamentarismo nada mais é do que a síntese máxima da democracia e da vontade soberana do povo, que não se encerra nas urnas, mas se perpetua diuturnamente, de geração em geração. Enquanto outros insistem em apontar a elevada rotatividade do regime de gabinete, como um sinal de fraqueza, nós do MOVIMENTO PARLAMENTARISTA BRASILEIRO sempre acreditamos ser esse seu maior trunfo: a certeza de que os representantes políticos não se locupletarão do poder emanado do povo para seus próprios propósitos, sob pena de remoção compulsória. Um governo obrigado a prestar constas aos representantes do povo, e a ele se sujeitar, para garantir sua continuidade, não é um governo que se vende ou barganha por sobrevivência política - isso é próprio do presidencialismo de coalizão, que tantos malefícios trouxe à nossa jovem e ainda imatura democracia; um governo que se sujeita ao parlamento é um governo que se sujeita ao seu próprio povo - que presta contas de suas ações com responsabilidade e que não se arrisca em manobras temerárias.
Vinicius Marques Boeira
Advogado, Consultor Jurídico empresarial. Presidente do MPB.
PARLAMENTARISMO PRETO NO BRANCO
Vejo que esse é o momento crucial para esclarecer o que é e o que não tem nada de sistema parlamentarista. O Sistema Parlamentarista de Governo não é um monólito; difere em muitos aspectos de um país para outro, sempre consagrando as tradições, os costumes e a cultura política e administrativa dos locais onde é adotado; como ocorre com o Presidencialismo. Basta ver que o Presidencialismo brasileiro é muito diferente do presidencialismo adotado na América do Norte. Contudo, existem alguns pontos de convergência que são fundamentais na definição e formatação do sistema de governo para que possa ser conhecido como um sistema de Gabinete. O primeiro deles indica que deva existir duas figuras distintas e bem definidas que são a Chefia de Estado e a Chefia de Governo. O Chefe de Estado não pode ter conotação política ideológica, tem que ser um representante do Estado-Nação, de todos, da população como coisa una. Sem pender para nenhum posicionamento que não a defesa dos interesses nacionais, para a mantença do território, do bem estar da população e da continuidade do país.
Editorial

COMEMORAÇÃO 21 ANOS DE FUNDAÇÃO DO MPB
Dia 15 de outubro de 1998, foi a data que marcou a reunião de criação do MPB, ocorrida no Plenarinho de nossa Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, comemorando neste ano 21 anos de fundação, por iniciativa de um grupo de cidadãos brasileiros, preocupados naquele encontro, com a falta de ética dos costumes políticos e a prometida reforma política do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que não avançou no Parlamento na defesa do parlamentarismo! Nesse ambiente político nacional, com a recente reeleição de Fernando Henrique Cardoso e com a renovação na época da nova Legislatura Federal 51ª( quinquagésima primeira ), o deputado federal Franco Montoro- PSDB-SP, tomava a iniciativa de encaminhar à mesa da Presidência da Câmara Federal, o pedido de desarquivamento da proposta de emenda constitucional PEC-20-A, para retornar a ser discutido no Plenário, como bandeira de reforma política, implantando o parlamentarismo no Brasil!
Endereço: Rua Gomes de Freitas ,256/201 - Porto Alegre/RS. CEP 91380-000
Telefone: 51 3217.7603 / 51 98144.2288
E-mail: mpb@parlamentarismo.com.br