Artigos
Carlos Alexandre Jaeger Bertolin
Médico Dermatologista. Atual presidente do IBEM-RS
MOVIMENTO MONÁRQUICO E AÇÃO POLÍTICA
É consenso entre os historiadores que a República pegou a todos - Governo, Família Imperial e povo - de surpresa. Havia rumores, havia indícios, mas nada indicava que a Monarquia cairia tão facilmente e a República se enraizaria tão rapidamente e tão profundamente em nosso País. Por que isso ocorreu? Como foi possível que um pequeno grupo de militares, muitos dos quais nem sabia o que estava fazendo, e um punhado de políticos frustrados conseguissem derrubar uma instituição aparentemente tão sólida quanto a Monarquia? A resposta é simples: Ação política. Os republicanos eram em pequeno número, mas estavam organizados. Tinham um pequeno e ágil partido político e dezenas, se não centenas, de Clubes Republicanos espalhados pelo País. Aos poucos eles conseguiram que uma ideia um tanto absurda passasse a ser encarada com certa naturalidade e, mais tarde, até com um sentimento de inevitabilidade. A República viria mais cedo ou mais tarde. Só não se sabia quando ou como. Guardadas as proporções, é o que novamente está acontecendo no Brasil. Arautos do Socialismo vivem nos dizendo, por todos os meios possíveis, que o socialismo é a solução, que o socialismo é o nosso futuro. E estamos nos acostumando com essa ideia. Aos poucos vamos aceitando o vocabulário socialista, os valores socialistas. Assim no dia em que os seus líderes acharem que o país está pronto, o socialismo será implantado de forma quase indolor, como o foi a república.

Palestra de Pedro Simon na Reunião Plenária do MPB, foi uma aula de história
Editorial

A FARSA DO IMPEACHMENT ...
Neste presidencialismo arcaico, como sabemos, o presidente assume as funções de Chefe de Estado com as de Chefe de Governo, um cargo com duas funções distintas, que a constituinte de 88, tendo aprovado o referido artigo 52, parágrafo único: caso cometesse crime de responsabilidade, a sentença de julgamento seria o afastamento do cargo com a perda dos direitos políticos. Após nove meses de discussão desse processo de impeachment, criou-se a maior crise política-institucional, com resultados duvidosos para a sociedade brasileira. Temos que evoluir na nossa democracia, instituindo o parlamentarismo moderno, separando as funções do Chefe de Estado do Chefe de Governo. Assim, desvinculando-se a responsabilidade política do presidente ( Chefe de Estado ) da função de governo, apenas assumindo as funções de magistrado, acima das disputas partidárias, como nas monarquias constitucionais, representando o guardião do Estado em benefício do cidadão, sendo o árbitro na condução da política nacional em estratégias de longo prazo.
Endereço Provisório: Rua Barão do Triunfo, 576/405 - Porto Alegre/RS Cep 90.130-101
Telefone: 51 3217.7603 / 51 8134.9781
E-mail: parlamentarismobrasil@gmail.com